Revisão da Vida Toda Reduz Aposentadoria?

Revisão da Vida Toda Reduz Aposentadoria

Revisão da Vida Toda Reduz Aposentadoria? Será?

Com o STF aprovando a Revisão da Vida Toda em dezembro de 2022, agora os aposentados do INSS podem comemorar!

Digo isso, porque tal medida inclui todos os salários no cálculo da aposentadoria, inclusive os anteriores a 07/1994, quando isso aumentar o benefício, não é só apenas uma possibilidade, é uma realidade, veja:

”o segurado que implementou as condições para o benefício previdenciário após a vigência da lei 9.876, de 26.11.1999, e antes da vigência das novas regras constitucionais, introduzidas pela EC 103/2019, tem o direito de optar pela regra definitiva, caso esta lhe seja mais favorável”, julgado em 1/12/2022.”

Em resumo, se você se aposentou depois de 26/11/1999, antes de 13/11/2019 e está dentro do prazo decadencial você pode ter direito a Revisão da Vida Toda.

Digo ”pode ter”, pois, a Revisão da Vida Toda não é boa para todo mundo.

O que poucos segurados sabem é que em muitas circunstâncias a Revisão da Vida Toda pode reduzir a aposentadoria.

Isso aconteceu com você? Como resolver? Clique abaixo e fale com um Advogado Especializado em Benefícios do INSS.

Perigo em pedir a Revisão da Vida Toda diretamente no INSS

Depois da Revisão da Vida Toda aprovada pelo STF o INSS disponibilizou em sua plataforma, no Meu INSS a possibilidade de pedir a Revisão da Vida Toda de maneira administrativa.

Ocorre que,  ao pedir a Revisão da Vida Toda sem saber se você pode ter direito ou não, o INSS fica com a chance de analisar todo o processo que concedeu a sua aposentadoria.

Por este motivo, isso pode reduzir o seu benefício, veja 3 situações que podem acontecer:

1º Encontrar erro no cálculo do tempo de contribuição

Ao conferir a sua aposentadoria analisando a possibilidade de uma Revisão, o INSS vai recalcular o seu tempo de contribuição.

Digamos que você se aposentou com 35 anos e 6 meses de tempo de contribuição, mas, o INSS ao analisar percebe que há 1 vínculo que possui uma pendência.

E esse 1 vínculo é responsável por 3 anos de tempo de contribuição.

O INSS vai abrir a possibilidade de você justificar e apresentar documentos se aquele vínculo realmente existiu, como foram as condições de trabalho e provar se ele é real.

Mas, caso o INSS entenda que isso é insuficiente, ele pode cancelar a sua aposentadoria ou reduzir o valor que você recebe.

2º Encontrar erro no cálculo dos valores

Digamos que o INSS aplicou o fator previdenciário na sua aposentadoria de uma maneira mais ”vantajosa”.

Mas, ao analisar e rever a sua aposentadoria ele percebe que o fator previdenciário deveria ”reduzir” mais a sua aposentadoria.

3º Encontrar alguma inconsistência nos seus vínculos e documentos

Ao analisar o seu processo de concessão, digamos que o INSS ache insuficiente os documentos que reconheceram, por exemplo, um período rural que foi reconhecido.

Ou até mesmo o INSS encontre algum vínculo que não deveria estar ali.

Se qualquer dessas situações acontecer, o INSS pode pedir explicações quanto a isso.

Como prevenir e entrar com a Revisão da Vida Toda corretamente

A única maneira de prevenir isso é antes realizando cálculos para saber se você realmente tem direito à Revisão da Vida Toda para que, com isso, não deixe o INSS analisar a sua aposentadoria de qualquer jeito.

Nós orientamos que você procure um especialista em cálculos e peça para verificar se a Revisão da Vida Toda é vantajosa para você, mas cuidado, nem todo o advogado sabe realizar esse cálculo e pode deixar alguma brecha passar.

Por exemplo, existem salários que não estão no CNIS e, não apresentar essa documentação para realizar os cálculos pode tornar a Revisão da Vida Toda menos vantajosa do que deveria.

Outro ponto importante é a respeito da documentação que vai ser apresentada para realizar os cálculos.

Aliás, isso faz diferença por conta de ser uma Revisão que vai levar em consideração toda a sua vida de trabalho, como o próprio nome já diz.

Por fim, caso você apenas desconfie que tem direito à Revisão da Vida Toda corra atrás, uma vez que, muitos aposentados estão tendo aumentos de R$1.000,00, R$3.000,00 ou até mais, subindo a aposentadoria para o teto do INSS.

Fora os atrasados, que são os retroativos dos últimos 5 anos, que podem ser uma bolada em alguns casos!

Até o próximo!

Compartilhe o conteúdo:

WhatsApp

Leia Também

BPC/LOAS Idoso

O Benefício de Prestação Continuada (BPC/LOAS) é um benefício de 1 salário mínimo mensal destinado a dois grupos específicos: pessoas com deficiência e idosos.  Neste

Leia mais »